MUSICARIA BRASIL

A música brasileira em seus mais variados estilos e tendências

PROFÍCUAS PARCERIAS

Em comemoração aos nove anos de existência, nosso espaço apresentará colunas diárias com distintos e gabaritados colaboradores. De domingo a domingo sempre um novo tema para deleite dos leitores do nosso espaço.

E TUDO O MAIS QUE HÁ DE LIRISMO, POESIA E CANDURA

Em projeto pautado na delicadeza, o compositor Xico Bizerra reitera o seu vigor autoral e volta ao mercado fonográfico em álbum duplo.

INTUITY BORA BORA JANGA

Siga a sua intuição e conheça aquela que vem se tornando a marca líder de calçados no segmento surfwear nas regiões tropicais do Brasil. Fones: (81) 99886 1544 / (81) 98690 1099.

DA DURA POESIA CONCRETA DE SAMPA EIS QUE SURGE OS AMANTICIDAS SOB A INSÍGNIA DA VANGUARDA PAULISTA

O quarteto paulista chega ao mercado fonográfico apresentando as suas mais distintas influências a partir de uma hibrida sonoridade que não os fazem perder a identidade.

SENHORITA XODÓ

Alimentos saudáveis, de qualidade e feitos com amor! Culinária Brasileira, Gourmet, Pizza, Vegana e Vegetariana. Contato: (81) 99924-5410

sábado, 27 de agosto de 2016

PETISCOS DA MUSICARIA

GRANDES INSTRUMENTISTAS PERNAMBUCANOS (IV) – ROBERTINHO DE RECIFE


Robertinho do Recife, no estúdio Abbey Road, gravando com George Martin


Na trilha dos grandes músicos instrumentistas de minha terra, chego agora em Robertinho do Recife (ou de Recife, tanto faz). Até aqui, viajamos nos solos virtuosos de Heraldo do Monte, Novelli, Naná Vasconcelos e Paulo Rafael.

Robertinho, nascido no Recife há 63 anos é destes caras que já vêm ao mundo sendo. Ainda menino, foi logo apontado como músico prodígio. Aos 12 anos, já era considerado um virtuose na guitarra. Normal para a tenra idade, amostrava-se fazendo malabarismos, como tocar com os pés (outros fizeram com os dentes).

Ainda no seminário onde estudou, Carlos Roberto Cavalcanti de Albuquerque exercitou-se tocando música sacra. É considerado pela crítica e pelo público um dos melhores guitarristas do Brasil. Hoje, além de músico, tem uma carreira sólida como produtor, fazendo trabalhos para alguns dos mais famosos nomes da música brasileira.

Vou continuar contando a história e trazendo ilustrações de Robertinho, mas não posso omitir que passei a ficar absolutamente ligado ao músico depois que gravou na sua guitarra rouca o frevo “Come e Dorme”, de Nelson Ferreira, que tornou-se o mais cantado Hino do Náutico, meu clube do coração. Ouçam:

Ainda na Jovem Guarda, Robertinho acompanhou ídolos como Rosemary e Jerry Adriani. Tocou em bandas nos Estados Unidos e também em transatlânticos em cruzeiros na costa brasileira, executando principalmente blues, jazz e country.

No período em que foi músico de estúdio, tocava estilos bem variados, acompanhando artistas como Jane Duboc, Cauby Peixoto, The Fevers e Hermeto Pascoal. Tocou muito heavy metal e – curiosidade – música infantil. Na época do lançamento de seu disco “Rapsódia Rock”, apresentava-se vestido de Mozart.


Rapsódia Rock: vestido de Mozart


Em 1985, juntamente com sua banda, fez o disco “Metal Mania”, com o grupo de que recebeu o nome do álbum (projeto de Robertinho), quando abriu shows para a banda norte-americana Quiot Riot, em São Paulo, no Rio e em Porto Alegre. No ano seguinte, Robertinho fundou o grupo musical Yahoo, que ficou conhecido por fazer versões de grandes sucessos internacionais, com versão em português.

O auge de sua carreira como guitarrista foi nos anos 70 e 80. Embora, toque e participe de discos de diversos artistas ainda hoje, passou a se dedicar a produzir artisticamente para Geraldo Azevedo, Fagner, Xuxa e Zé Ramalho, entre outros.

Com muita bagagem e anos de estrada, na noite, em acompanhamentos e discos solo, Robertinho optou deixar a carreira musical, negando até convite para integrar o grupo americano Chicago, sendo chamado por Fagner para produzir seus discos na década de 1980.

Atualmente, trabalha principalmente no seu estúdio, o “Special Discos”, no Rio de Janeiro. Como guitarrista, participou em shows ou gravou com vários artistas e bandas internacionais como Stanley Clarke, Peter Tosh, George Martin, Deep Purple, Arto Lindsay, Andy Summers.

Entre os brasileiros, além do que já citamos, tem trabalhos com Luiz Melodia, Dominguinhos, Gal, Wagner Tiso, Zeca Baleiro, Moraes Moreira, Amelinha, Lenine.

Solo de Deslizes, com Fagner:



Em 1982, lançou com a cantora Emilinha Borba, o LP “Satisfação”, atuando na faixa “Feliz com Você”, além tocar parcerias suas com Fausto Nilo, Abel Silva e Capinam. Em 1997, suas músicas “Não mais nada” e “O movimento está parado” em parceria com Falcão foram gravadas no CD de Falcão “A um passo da MPB”.

Metal Mania: na formação de 2014


Em 2004, integrou a banda “Na Mata Café” cujas apresentações ao vivo trouxeram performances brega/new wave, com o pior e o melhor do som dos anos 80. Somou às atividades artísticas a atuação como produtor musical por longo tempo. Em 2011 foi homenageado, em sua cidade natal, pelo bloco de carnaval “Galo da Madrugada”.


Robertinho de Recife Live – Concerto em 1989, Rio de Janeiro:



Na mesma época, envolvido com uma nova geração de músicos que ele mesmo havia entusiasmado e influenciado, retornou aos palcos em uma turnê ao lado do grupo “Os Autoramas”.


No fim de 2014, oito meses após sofrer um infarto, reativou seu grupo de rock Metal Mania e lançou o disco “Back for more”, registrado também em vinil. No álbum, quase todo instrumental, tocou guitarra, principal das gravações.

Semana que vem tem mais dessa festa em louvor à música instrumental pernambucana e brasileira.


Fontes: Dicionário Ricardo Cravo Albin; wikipedia; acervo pessoal; site onordeste; O Globo; site Metal Mania.

FAFÁ DE BELÉM, 60 ANOS

Por Eduardo Logullo






Então vamos falar sobre Fafá. Olha que conheço a história da tal MPB e de muitos de seus representantes considerados máximos. Pois bem. Fafá, há algum tempo, evoluiu/voou do estágio de cantora para o patamar de intérprete. Vôo raro. Isso significa conhecimento, evolução e invenção. Ela hoje canta o que quer, porque sua presença se sobrepõe a qualquer roteiro, compositor ou escolha de repertório. Isso é virtude e alcance. O difícil. Alcançar harmonias de canções que traduzem vida, experimentos e bifurcações.


Ninguém no Brasil teve (ou tem) um estilo único, regional. Em Fafá (e com Fafá) isso se torna mais evidente: a geografia musical da sua garganta é imensa e traduz um aglomerado de riquezas e contradições. Isso se diz criar. Pegar, entender e solfejar. Uirapuru piou. Uirapuru voou.

Fafá de Belém traz um sobrenome que a poderia reduzir como artista. Mas o desafio dela sempre foi anular esse mapa, esse pouso, sem dispensar as ventanias regionais do canto, mas abrindo-se em rotas de descobertas para cantos urbanos, animados, ritmados, tristes, desoladores, políticos, avançados e delicados. A possibilidade do termo tudo.

Viva ela. Vitória-régia que flutua no espaço sideral da sempre imensa e interminável e inenarrável e misteriosa música popular desse lugar que se chama Brasil.
Ave: Fafá.




Fafá de Belém por Eulália Figueiredo

Desde o primeiro álbum, “Tamba Tajá”, em 76, o canto, a sensualidade, a força e o carisma de Fafá de Belém contagiaram o povo brasileiro e até mesmo os críticos considerados mais exigentes. Aliás, um pouquinho antes, em 75, a artista já obtivera reconhecimento nacional com a inclusão, na novela Gabriela, da música “Filho da Bahia” ( de Walter Queiroz e interpretada por ela).

De lá pra cá, a cantora vendeu milhões de álbuns, conquistou plateias pelos quatro cantos do mundo, acumulou algumas das mais importantes premiações relacionadas à canção brasileira. No exterior, o público lusitano, que a acolheu como uma típica compatriota, foi o mais seduzido pelo talento desta intérprete visceral que canta, com emoção, o que a arrepia sem render-se a modismos. Ao contrário, em certos momentos, tornou-se até pioneira, abriu caminhos para estilos e tendências. Gravou lambada quando ninguém nem sabia do que se tratava; conseguiu chegar às fms com uma canção sertaneja, “Nuvem de Lágrimas”: a primeira de um gênero considerado brega a ser executada nas rádios fms do Rio (até então consideradas elitizadas).

Voltando aos patrícios, a cantora é tão prestigiada em Portugal que ganhou, em 2011, a “Medalha do Turismo”, e um dos seus maiores sucessos – a canção “Vermelho” (Chico da Silva) – é um dos hinos da torcida do Benfica. Não foi à toa que Fafá, descendente de portugueses, em janeiro de 2013, solicitou sua dupla cidadania.

Cantora dos grandes amores, desamores, das causas passionais, a artista arrebatou, desde o início, não só o público mas também alguns dos maiores nomes da MPB. Em seus álbuns, músicas feitas ou não para ela mas que pareciam sempre exibir o seu “dna”, explodiram em sua voz. Eram presentes e mais presentes de ícones como Milton Nascimento, Chico Buarque, Suely Costa, Ivan Lins, Fernando Brant, e também de conterrâneos ilustres como Paulo André e Ruy Barata. Estes últimos, que compuseram canções como “Foi Assim” e “Pauapixuna”- megasucessos da carreira de Fafá. “Tamba Tajá”, que titulou o álbum de estreia, foi composta por Waldemar Henrique, outra figura lendária de sua terra natal. “Sedução” e “Raça”, de Milton e Brant, as músicas “Dentro de mim mora um anjo” (Suely Costa/Cacaso) e “Bilhete” (IvanLins/Victor Martins) soam como marcas registradas e, praticamente, definitivas em sua voz.

Apesar de adorar participar, na infância, das festas e saraus promovidos pela família, Fafá não pensava em ser cantora. Queria ser psicóloga. Mas fazia de tudo para ficar no meio dos adultos e adorava “soltar a voz” durante essas reuniões. Ainda adolescente, mesmo sem saber, já dava “sinais” de sua paixão pela música quando fugia de casa, com amigos, para cantar em serestas e saraus.

A grande brincadeira só acabou mesmo quando conheceu Roberto Santana e o produtor resolveu aconselhá-la a investir na carreira artística. Com o incentivo, Fafá resolveu cair na estrada e apresentar-se em diversas cidades: Rio de Janeiro, Salvador e, claro, Belém. Logo viria a estreia, como cantora profissional, num espetáculo de teatro:”Tem muita goma no meu tacacá” – uma sátira ao momento político daquela época e que contava, em seu elenco, com o hoje conhecido ator Cacá Carvalho.

“Àgua”, o segundo álbum, que vendeu mais de 100 mil cópias, consagrou a cantora nacionalmente. E vieram muitos e muitos outros sucessos a partir daí. “Sob Medida”, de Chico Buarque, gravado em 79 no álbum “Estrela Radiante”, com canções regionais e urbanas, é considerado um dos seus maiores hits.

Talentosa também como atriz, Fafá de Belém participou de filmes, telenovelas e espetáculos musicais. “Alabê de Jerusalém” ( a “ópera-negra” de Altay Veloso), a novela “Caminhos do Coração” escrita por Tiago Santiago (Rede Record) e o filme de Tizuka Yamasaki “Amazônia Caruana” (que narra a vida da única pajé brasileira, Zeneida, que vive na Ilha de Marajó) são alguns dos trabalhos realizados pela cantora e atriz que também fez parte, como jurada, do programa “Ídolos”, da Record.

Conhecida como a “Musa das Diretas” pela participação efetiva no movimento que tomou conta do país em prol das eleições e fim da ditadura militar, Fafá também realizou gravações históricas e emblemáticas que emocionaram o povo brasileiro, como nas gravações de “Menestrel das Alagoas” (LP Fafá de Belém), e do “Hino Nacional Brasileiro” (no álbum “Aprendizes da Esperança”). Sua identificação com os movimentos progressistas e por ter caminhado por todo o Brasil na campanha pela democracia e em repúdio aos “anos de chumbo”, “de avião, carro, ônibus, e até lombo de burro” como costuma dizer”, rendeu-lhe amigos em todos os partidos. Como diz Fafá, “sou amiga dos amigos e não de partidos. Conheci todos essas pessoas que aí estão, quando lutávamos – todos – sob uma mesma bandeira: a da redemocratização”. Felizmente, essa trajetória não se perderá e será contada em um longa-metragem, que vai retratar a caminhada da única artista a participar de todos os comícios pela Diretas.

Reverenciada como uma intérprete de grandes nomes da MPB e de conceituados autores regionais, em meados dos anos 80, a intérprete dá uma guinada na carreira e abraça a chamada canção popular, passando a apostar suas fichas em autores menos incensados pela crítica.

Grava canções ainda mais românticas, populares e explode, literalmente, nas paradas. Em 86, com o álbum “Atrevida” e em função de megahits como “Memórias”, de Leonardo, e “Meu homem”, versão da própria Fafá para “Nobody does it better” (gravada originalmente por Carly Simon) chega à incrível cifra de 500 mil cópias vendidas! Mas outras canções chegam, com força total, em lps posteriores: “Meu Dilema” (Michael Sullivan /Leonardo) foi o maior destaque no álbum “Grandes Amores”, e “Meu disfarce”, de Chico Roque e Carlos Colla, foi um dos hits do álbum titulado como “Sozinha”. E muitas canções interpretadas pela artista como, por exemplo, “Coração do Agreste”, de Moacyr Luz e Aldir Blanc, que fez parte da trilha sonora de “Tieta”, também frequentaram as telinhas. “Nuvem de Lágrimas”, de Paulo Debétio e Paulinho Rezende, sucesso até hoje, foi gravada no álbum “Fafá”. “Doces palavras”, o disco posterior, trazia canções como “Coração Xonado”, “Águas Passadas” e ganhou versão, em CD, com três faixas como bônus.

Álbuns como “Coração Brasileiro” (96) e “Pássaro Sonhador” (98), os inúmeros “Fafá” e o “Meu fado”, um CD inteiro dedicado à canção portuguesa mas com sotaque brasileiro, lançado em 92, são alguns dos trabalhos fonográficos de uma carreira cortejada, incessantemente, pelo sucesso. Seja ele através das canções românticas, poéticas, melodias urbanas, regionais, embaladas pela poesia ou até mesmo pelas mensagens sociais, conscientizadoras. Os anos 90 foram, sem dúvida, tempos de muita batalha mas também de muitas vitórias para Fafá.




Os anos 2000 começam, para a cantora, com um CD intitulado “Maria de Fátima Palha de Figueiredo” – com repertório romântico e canções consagradas. Destaque para a regravação de “Meu nome é ninguém”(Haroldo Barbosa /Luiz Reis) registrada, originalmente, por Miltinho. “Piano e voz”, em 2000 e, logo depois e na mesma linha, o “Fafá ao vivo”de 2002; o registro, em 2003, de ” O canto das águas”; “Tanto Mar”, em 2005 (em homenagem a Chico Buarque), e o CD/DVD “Fafá ao vivo”, em 2007. “Fafá – Raridades”, em 2011; “Ep “Frevo e Folia” e “Amor e Fé” (ambos em 2013) vieram na sequência. “Amor e Fé”, um dos mais recentes lançamentos da artista, é uma reverência ao Papa Francisco. Fafá, reconhecidamente religiosa, é a única artista no mundo a cantar para três papas.

Com uma carreira profissional consolidada, mas sempre preocupada com as questões sociais, culturais e religiosas, Fafá de Belém também tem se esmerado na divulgação de um dos maiores eventos deste país: o Círio de Nazaré (que acabou de ser titulado como”patrimônio imaterial da humanidade” pela Unesco). A manifestação, realizada em outubro, leva milhões de fiéis à sua querida Belém do Pará. A cantora, utilizando-se dos seus conhecimentos e com muita criatividade, tem realizado um evento denominado “Varanda de Nazaré” para atrair a atenção sobre a bela manifestação cultural e religiosa. Fafá tem reunido inúmeras personalidades formadoras de opinião, e conseguiu um foco ainda maior da mídia para o evento recorde com cerca de três milhões de pessoas . São cidadãos das mais diversas regiões que, nessa ocasião, são convocados pela cantora para assistir ao Círio e a conhecer um pouco mais da cultura amazônica. Uma região, infelizmente, ainda pouco apreciada pelos próprios brasileiros.

Atualmente, Fafá se prepara para uma nova maratona carnavalesca pelas ruas, vielas e palcos do Recife e do Nordeste, cantando a música inédita que gravou, recentemente, com a participação do autor Alceu Valença “Beija-Flor Apaixonado”). Canção esta que estará disponível para download, gratuitamente, até o dia 10 de março, em seu site (www.fafadebelem.com.br). A exemplo do ano passado, ela também cantará durante a passagem do maior bloco do mundo: o Galo da Madrugada – que participou do seu EP, em 2013.

Depois da folia, a artista recomeça sua turnê nacional e também volta ao exterior, no dia 08 de março, como convidada do Cabo Verde Music Awards. Em seu retorno ao Brasil, a cantora iniciará o processo de seleção de repertório para um novo e, certamente, vitorioso álbum de carreira.

Para encerrar, vale a pena reeditar a palavra da própria intérprete no trecho final da biografia que pode ser encontrada em seu site: -”Sempre transei minhas coisas, vivi minha vida, batalhei demais e dei muito murro em ponta de faca para chegar aonde estou. É o povo que ensina ao artista o que ele tem de cantar e não o artista que deve ensinar ao povo o que ele tem de ouvir”– repete, com freqüência, a artista popular que Fafá de Belém se tornou. Fafá virou marca nacional. Marca nacional de alegria, com aquela gargalhada sinceramente estrondosa que é capaz de levantar os ânimos de qualquer um. Marca nacional de saúde, a bela mulher brasileira que batizou até as lanternas do antigo Fusquinha, outra paixão popular. Marca nacional de liberdade, símbolo de um movimento político que fez milhões de brasileiros se emocionarem com sua interpretação do hino pátrio.

Esta é Fafá de Belém. Ou melhor: Fafá do Mundo!

Maria de Fátima Palha de Figueiredo sempre gostou de cantar. Dona de uma das mais expressivas vendagens de discos no mercado nacional, presença constante nas paradas de sucesso e à frente de atribulada agenda de shows, nos últimos anos Fafá de Belém conquistou duramente o posto de estrela da nossa canção popular. Das feiras de agropecuária no interior do país e shows em praça pública até temporadas no eixo Rio – São Paulo, incluindo o Cassino Estoril, em Portugal, ela é sempre vitoriosa.

Em 1976, Fafá lançou o primeiro LP, Tamba Tajá. Seu canto seduziu até o demolidor crítico de música brasileira do Jornal do Brasil, o temido José Ramos Tinhorão, que se derramou em elogios à jovem artista, apontando-a como ?uma cantora destinada a figurar no primeiro time da atual geração de grandes intérpretes brasileiros.? O álbum seguinte, “Água” (1977) confirmava todas as previsões: atingiu cerca de 95 mil cópias vendidas.

Embora jamais tenha pensado em ser cantora profissional, desde os 9 anos de idade, Fafá de Belém, era uma atração nas festas promovidas pela família ou nas casas de amigos. Apesar de menina, interpretava como gente grande “Ouça”, sucesso de Maysa, ou “Eu e a Brisa”, de Johnny Half. Era uma garota que, como os da sua geração, amava os Beatles, era fã de Roberto Carlos e da turma da Jovem Guarda, mas também fascinada por jazz, música clássica, e que se emocionava ouvindo os grandes cantores de rádio, como Cauby Peixoto, Angela Maria, Núbia Lafayette e Orlando Silva, “Gente de punhal no peito”, que ela gosta de tomar como modelos para interpretar.




Hoje me vejo como uma cantora dos grandes amores, das perdas e dos reencontros. Se a música não me arrepiar, não gravo. Se não for personagem da letra, não consigo interpretar. Sou um dramalhão, uma passional? – costuma afirmar, entre gostosas risadas, porém do fundo do coração, a grande interpréte de ?Nuvem de Lágrimas?, primeira canção sertaneja a tocar nas FMs do Rio.

O amplo leque de sua formação musical está refletido na seleção de seu repertório. Ela gravou de tudo, sem preconceito. Música regional, pérolas do cancioneiro popular, como “Que Queres Tu De Mim”, de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, ou “Você Vai Gostar” (Casinha Branca) de Elpídio dos Santos. Rock, boleros, ritmos caribenhos, guarânias, afoxé, lambadas, sambas-canções, composições dos grandes nomes da MPB, Marcha-rancho, sertanejo, e muitos outros ritmos. Sem falar da polêmica apresentação que a musa das diretas deu ao Hino Nacional, contestada pela justiça e ovacionada pela platéia, cada vez mais numerosa de seus shows.

Foi a partir da decisão de virar a mesa e deixar o coração falar mais alto que Fafá tocou fundo a alma brasileira. Com a determinação que a caracteriza, os anos de estrada, uma forte intuição e o sucesso absoluto de canções escolhidas a dedo pela própria cantora em determinados momentos de sua vida, como “Bilhete”, de Ivan Lins e Victor Martins, que a fez romper o silêncio de um ano em 1982. Ou “Memórias”, de Leonardo, popular compositor pernambucano, responsável pela venda de meio milhão de cópias (Disco de Platina) do álbum “Atrevida”, Fafá atingia, então, o auge de sua carreira, sobretudo como cantora romântica.

Uma trajetória assombrosa, mas nada que surpreenda quem bem a conhece e às suas aparentes contradições. Não foi à toa que interpretava, com tamanha emoção e propriedade os versos de um dos maiores sucessos de sua carreira, “Dentro De Mim Mora Um Anjo”, de Suely Costa e Cacaso: “Quem me vê assim cantando, não sabe nada de mim…”. Está aí uma das maiores verdades sobre Fafá de Belém, que sabe exatamente o que quer e do que é capaz.

“Sempre transei minhas coisas, vivi minha vida, batalhei demais e dei muito murro em ponta de faca para chegar aonde estou. É o povo que ensina ao artista o que ele tem de cantar e não o artista que deve ensinar ao povo o que ele tem de ouvir” – repete, com freqüência, a artista popular que Fafá de Belém se tornou.

Fafá virou marca nacional. Marca nacional de alegria, com aquela gargalhada sinceramente estrondosa que é capaz de levantar os ânimos de qualquer um. Marca nacional de saúde, a bela mulher brasileira que batizou até as lanternas do antigo Fusquinha, outra paixão popular. Marca nacional de liberdade, símbolo de um movimento político que fez milhões de brasileiros se emocionarem com sua interpretação do hino pátrio.





Esta é Fafá de Belém. Ou melhor: Fafá do Mundo
Release Clemente Schwartz

Às vésperas de completar 40 anos de uma carreira repleta de grandes sucessos que resultaram na marca de.... discos vendidos, Fafá de Belém se mantém como um dos nomes mais sedimentados da Música Popular Brasileira.

Consagrada nacionalmente desde 1975, quando lançou seu primeiro LP, “Tamba Tajá”, e assim revelando desde então uma notória habilidade em imprimir sua própria marca interpretativa nos mais diversos estilos que compõem a MPB, ao reunir num só álbum canções de Milton Nascimento (“Fazenda”) e Caetano Veloso (“Cá já), um xaxado de Luiz Gonzaga (“Xamêgo”), músicas amazônicas dos paraenses Paulo André e Ruy Barata (“Induê tupã” e “Esse rio é minha rua”), uma balada de melodia bem estrangeira composta pelo gaúcho José Fogaça (“Vento negro”), um clássico do bolero composto por Antônio Maria e Ismael Neto (“Canção da volta”), dentre outras tendência, em faixas que assim como as acima citadas conquistaram as paradas de sucesso das rádios e TV, levando-a a ser eleita naquele ano como Cantora Revelação, pelos críticos da POP, revista especializada em música, à época, com maior bagagem perante ao público consumidor do segmento. Fafá lançou segundo álbum, “Água” em 1976, quando a mesma revista a elegeu como Melhor Cantora do Brasil.

Além das rádios e dos programas de música nas TVs, a voz de Fafá de Belém também sempre esteve presente nas telenovelas, nas quais, ao todo, a cantora tem 30 participações em trilhas sonoras, a partir de 1975, na primeira versão de “Gabriela”, que contou com seu primeiro sucesso, “Filho da Bahia” (Walter Queiróz), até “Pauapixuna”, em “Amor Eterno Amor’, telenovela da rede Globo, exibida em 2012. Com tantas inserções, Fafá chegou a ter até duas gravações, indo ao ar simultaneamente como trilha sonora, em novelas distintas, na mesma emissora. Num box, em anexo, consta a lista com o título das trinta gravações e as respectivas telenovelas para quais as interpretações de Fafá serviram como trilha sonora.


Entretanto, a afinidade entre Fafá de Belém e o grande público não se detém a esses fatores, afinal, a intérprete também mergulhou de maneira magistral no universo popular, ao imortalizar vários sucessos durante a grande onda da lambada, nos anos 80; e também durante a explosão nacional da música sertaneja, saída do interior do Centro Oeste para todo o Brasil, nos idos anos de 1990. Durante as duas décadas, Fafá se manteve entre os campeões de bilheteria e de venda de discos, arrebatando adeptos dos dois estilos, dos quais se tornou um nome tão importante quanto os grandes ícones dos segmentos, entretanto, sem que perdesse jamais a majestade de dama da canção, condição adquirida desde suas primeiras apresentações para todo o país.



Não bastasse sua popularidade no Brasil, Fafá alçou voos ainda mais altos ao lançar o álbum “Meu fado” (1992), reunindo clássicos portugueses e canções brasileiras com arranjos adaptados ao estilo português, o que rendeu grande reconhecimento à cantora brasileira no Além-Mar, a outra pátria da cantora filha de português. Em Portugal, a canção “Memórias” do pernambucano Leonardo, lançada por ela com arranjo de fado, já teve mais de 10 regravações no estilo português, decorrente da influência de Fafá. Outra representação da afetividade dos portugueses com Fafá é o fato do hino oficial do time Benfica ter sido substituído espontaneamente pela canção amazônica “Vermelho”, grande sucesso da cantora. O álbum “Meu fado” rendeu o show homônimo, muito solicitado no Brasil e em Portugal, até hoje e, portanto, faz parte do repertório de espetáculo da intérprete.

Com o entusiasmo que lhe é peculiar, Fafá entregou-se novamente às suas raízes amazônicas, envolvendo-se à festa do boi-bumbá de Parintins (AM). Desse contato, resultaram as gravações das toadas dos grupos de bois-bumbás Caprichoso e Garantido, no “Pássaro Sonhador” (1996), álbum que traz ainda carimbós paraenses. Em 2002, Fafá lança um álbum com repertório inteiramente de autoria de compositores paraenses, intitulado “Canto das Águas”, que resultou num espetáculo homônimo, o qual faz parte até hoje do repertório de shows da intérprete. Também em 2002, Fafá lança o álbum “Piano e voz”, fazendo releitura de seus próprios sucessos num formato mais cool, acompanhada por João Rebouças. Este foi mais um álbum a render show que se estabeleceu permanentemente no repertório de espetáculos de Fafá de Belém. Este ano em que lançou dois álbuns quase ao mesmo tempo marca o início da fase em que a cantora não mais se comprometeu à produção de discos anuais, como durante por quase 30 anos de carreira, opção que jamais apagou seu brilho. Pelo contrário, o estrelato de da cantora, se manteve intacto. Tal magnitude se constata com os convites e as apresentações, por duas vezes, para o papa João Paulo II, e mais outra vez, desta feita, para o papa Francisco. Tais momentos eternizaram a cantora de forma singular, tanto em sua trajetória, como, consequentemente, também, na história da MPB. Tais experiências, somadas às participações em outras festividades religiosas, inspiraram Fafá a lançar o single “Ave Maria” (1997) e o álbum “Amor e Fé” (2013).

Além da pureza, Fafá também destilou requinte e veracidade em “Tanto Mar”, álbum de finíssimo trato, composto por repertório é todo assinado por Chico Buarque. O lançamento foi mais um desafio bem sucedido, que se estabeleceu com show permanente no repertório de espetáculos da cantora.


Discografia Oficial

Tamba Tajá (Polydor) (1976)

Faixas

01 - Indauê Tupã (Paulo André / Ruy Barata)
2 - Tamba-tajá (Waldemar Henrique)
3 - Siriê (Edil Pacheco / Paulo Diniz)
4 - Vento Negro (Fogaça / Kledir Ramil)
5 - Xamêgo (Luis Gonzaga / Miguel Lima)
6 - Haragana (Quico Castro Neves)
7 - Canção da Volta (Antônio Maria / Ismael Netto)
8 - Pode Entrar (Walter Queiroz)
9 - Cá Já (Caetano Veloso)
10 - Gaudêncio Sete Luas (Luis Coronel / Marco Aurélio Vasconcelos)
11 - Fazenda (Nelson Ângelo)
12 - Esse Rio É Minha Rua (Paulo André / Ruy Barata)
13 - Fracasso (Mário Lago)





Água (Philips) (1977)

Faixas:
01 - Pauapixuna (Paulo André / Ruy Barata)
02 - Araguaia (Rinaldo Barra)
03 - Leilão (Hekel Tavares / Juraci Camargo)
04 - Cordas de Espinhos (Luis Coronel / Marco Aurélio Vasconcelos)
05 - Canção Passarinho (Luis Violão)
06 - Ontem ao Luar (Catulo da Paixão Cearense / Pedro de Alcântara)
07 - Raça (Milton Nascimento / Fernando Brant)
08 - Sedução (Milton Nascimento / Fernando Brant)
09 - Foi Assim (Paulo André / Ruy Barata)
10 - Cidade Pequenina (Caetano Veloso / Roberto Menescal)
11 - O Andarilho (Dalton Vogeler / Orlando Silveira)
12 - Ave Maria dos Retirantes (Alcyvando Luz / Carlos Coquejo)


Banho de cheiro (Philips) (1978)
Faixas:
01 - Dentro de Mim Mora Um Anjo (Sueli Costa / Cacaso)
02 - Maria Solidária (Milton Nascimento / Fernando Brant)
03 - Se Eu Disser (Tunai / Sergio Natureza)
04 - Carta Noturna (Paulo André / Ruy Barata)
05 - Tu Mi Delirio (C. Portillo de La Luz)
06 - Chegada (José Maria Villar)
07 - Moça do Mar (Tavinho Bonfá / Ivan Wrigg)
08 - Tanto (Beto Guedes / Ronaldo Bastos)
09 - Baiuca's Bar (Paulo André / Ruy Barata)
10 - Gostoso (Gonzaguinha)
11 - A Noite (Francis Hime / Renata Palotini)
12 - Estrelê (Paulo Levita / Walter Queiroz)
13 - Banho de Cheiro (Paulo André / Ruy Barata)



Estrela radiante (Philips) (1979)

Faixas:
01 - Sob Medida (Chico Buarque)
02 - Memória (Gonzaguinha)
03 - Bom Dia Belém (Edyr Proença / Adalcinda)
04 - Temporal (Ivan Lins / Gilson Peranzzetta / Vitor Martins)
05 - Confidência (Raul Sampaio / Benil Santos)
06 - Pergunte o Que Quiser (Antônio Galdino)
07 - Estrela Radiante (Walter Queiroz)
08 - Mesa de Bar (Paulo André)
09 - Paçará (Paulo André / Ruy Barata)
10 - Que Me Venha Esse Homem (David Tygel / Bruna Lombardi)
11 - Assim Seja (Milton Nascimento / Wagner Tiso / Fernando Brant)
12 - Carece de Explicação (Dominguinhos / Clodô)



Crença (Polygram) (1980)

Faixas:
01 - Sexto Sentido (Beto Fogaça / Hermes Aquino)
02 - Bicho Homem (Milton Nascimento / Fernando Brant)
03 - Baque do Coração (Vevé Calazans / Bubuska)
04 - Na Hora Exata (Tunai / Sergio Natureza)
05 - Ítaca (Paulo André / Ruy Barata)
06 - Crença (Milton Nascimento / Márcio Borges)
07  Carrinho de Linha (Walter Queiroz)
08 - Precisava Ver (Vital Lima)
09 - Me Disseram (Joyce)
10 - Cabresto (Bubuska)
11 - Para Um Amor no Recife (Paulinho da Viola)
12 - O Dono do Lugar (Edu Lobo / Cacaso)



Essencial (Polygram) (1982)

Faixas:
01 - Bilhete (Ivan Lins / Vitor Martins)
02 - No Meio da Roda (Tavinho Bonfá / Geraldo Carneiro)
03 - Jambo (Juca Filho / Rodrigo Campello)
04 - Essencial (Joyce)
05 - Nos Bailes da Vida (Milton Nascimento / Fernando Brant)
06 - Cumplicidade (Tavinho Bonfá / Júnior)
07 - Caso Especial (Sônia Burnier / Sônia Hirsch)
08 - Cheiro Doce (Paulo Jobim)
09 - Pai e Mãe (Gilberto Gil)
10 - O Gosto da Vida (Péricles Cavalcanti)



Fafá de Belém (Som Livre) (1983)

Faixas:
01 - Menestrel das Alagoas (Milton Nascimento / Fernando Brant)
02 - Você Em Minha Vida (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
03 - Aconteceu Você (Guilherme Arantes)
04 - Menino Grande (Antônio Maria)
05 - Cio (Baby Doll) (Celso Viáfora / Nancy Ford)
06 - Peixinho (Sergio Sá)
07 - Gosto do Prazer (Absinto) (Guto Graça Melo / Naila Skorpio / Sônia Dias)
08 - Carta a Maceió (Gordurinha)
09 - Duas (Sueli Costa / Tite de Lemos)
10 - Promessas (Tom Jobim / Newton Mendonça)



Aprendizes da esperança (Som Livre) (1985)

Faixas:
01 - O Rastro de Sol (Erich Bulling / Sergio Sá)
02 - Represa (Sergio Sá)
03 - Nascente/poente (Erich Bulling / John D'Andrea / Gilberto Gil)
04 - Flor da Pele (Sergio Sá)
05 - Mambembe (Chico Buarque)
06 - Aprendizes da Esperança (Kleiton Ramil / Beto Fogaça)
07 - Coração Aprendiz (Erich Bulling / Ronaldo Bastos)
08 - Doce Magia (Erich Bulling / Alec Costandinos / Fafá de Belém)
09 - Lambadas:
Ovelha Desgarrada (Francis Dalva)
Só Pra Você (Carlos Santos / Sullema / Pinduca)
Não Chore Não (Carlos Santos / Jomil)
O Remador (Carlos Santos / Pedro Américo / Alípio Martins)
Bom Barqueiro (Carlos Santos / Pedro Américo)
10 - Sol de Corações (Erich Bulling / Al Makay / Fernando Brant)
11 - Hino Nacional Brasileiro (Joaquim Osório Duque Estrada / Francisco Manoel da Silva)



Atrevida (Som Livre) (1986)

Faixas:
01 - Meu Homem (Nobody Does It Better) (C. Sager / M. Hamlisch / Vrs. Fafá de Belém)
02 - Lambadas II:
Fogaréu (Walter Queiroz)
A Carta (Carlos Santos / Sullema)
Final de Semana (Carlos Alexandre / Maurílio Costa)
Brincar Com Meu Amor (Zé Orlando / Tato Júnior)
03 - Minha Estrela (Ivan Lins / Vitor Martins) - com Ivan Lins
04 - Atrevida (Ivan Lins / Vitor Martins)
05 - Cavalgada (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
06 - Rei no Bagaço Coisas da Vida (Osvaldo Garcia / Albertino Garcia)
07 - Êre (Anyzette / Michael Sullivan / Paulo Massadas)
08 - Pra Não Mais Voltar (Maysa / Ivan Lins)
09 - Doce Mistério (Erich Bulling / Ronaldo Bastos)
10 - Memórias (Leonardo)
11 - Coração de Isopor (Ivan Lins / Fafá de Belém / Vitor Martins / Lincoln Olivetti)
12 - Mulheres do Brasil (Pery Souza / Fogaça)



Grandes amores (Som Livre) (1987)

Faixas:
01 - Tudo Pode o Amor (All In Love Is Fair) (Stevie Wonder / Vrs. Fafá de Belém)
02 - Meu Dilema (Michael Sullivan / Leonardo)
03 - Fazendo Fumaça (J. Michiles)
04 - Personagem (Mauro Motta / Carlos Colla)
05 - Grandes Amores (Fafá de Belém)
06 - Motivos (Leonardo / Michael Sullivan)
07 - Lambadas III:
Negue (J. Michiles)
Ti Ti Ti (Fernando Lelis / Jacinto José)
Só Vai Dar Você (Alípio Martins / Marcelle)
Cheiro no Cangote (Alípio Martins / Marcelle)
Forró Fogoso (J. Michiles)
08 - Coisas Mais Loucas (Michael Sullivan / Paulo Massadas)
09 - Tua Presença (Maurício Duboc / Carlos Colla)
10 - Amores (Milton Nascimento / Fernando Brant)



Sozinha (Polygram) (1988)

Faixas:
01 - Meu Disfarce (Carlos Roque / Carlos Colla)
02 - Gosto (Michael Sullivan / Paulo Massadas)
03 - Te Odeio e Te Quero (Te Odio Y Te Quiero) (Perez / Vrs. Fafá de Belém)
04 - Teu Imenso Amor (Tu Inmenso Amor) (R. A. Perez / Vrs. Fafá de Belém)
05 - Anoiteceu (Mauro Motta / Carlos Colla)
06 - Sozinha (Paulo Sergio Valle / José Augusto)
07 - Frente a Frente (Leonardo)
08 - Mentiras (Paulo Sergio Valle / José Augusto)
09 - De Nosso Amor Tão Sincero (Ivan Lins / Vitor Martins) - Com Ivan Lins
10 - Cadê Você (Leila XIV) (João Donato / Chico Buarque)



Fafá (BMG-Ariola) (1989)

Faixas:
01 - Amor Cigano (Michael Sullivan / Paulo Massadas)
02 - Será (Marcos Valle / Carlos Colla)
03 - Nuvem de Lágrimas (Paulo Debétio / Paulinho Resende) - com Chitãozinho e Xororó
04 - Volta Logo (Ed Wilson / Fafá de Belém)
05 - Só Pra Te Ver Feliz (Paulo Sergio Valle / José Augusto)
06 - Chorando Se Foi (Llorando Se Fue) (U. H. Gonzalez / Vrs. Márcia Ferreira / Vrs. José Ari)
07 - Coração do Agreste (Moacyr Luz / Aldir Blanc)
08 - Coisas Mais Loucas (Michael Sullivan / Paulo Massadas)
09 - Conversa Bonita (Chico Roque / Paulo Sergio Valle)
10 - Eu Preciso de Você na Minha Vida (Marcos Valle / Carlos Colla)
11 - Ninguém Vive Sem Amor (Almir Bezerra)
12 - Nova Delhi (Paulinho Camafeu)



Doces palavras (BMG-Ariola) (1991)

Faixas:
01 - Amor da Minha Vida (Michael Sullivan / Paulo Massadas)
02 - Águas Passadas (Paulo Debétio / Paulinho Resende) - com Zezé di Camargo e Luciano
03 - Um Homem Que Amei (Someone That I Used To Love) (G. Goffin / M. Masser / Vrs. Fafá de Belém / Vrs. Pedro Monteiro)
04 - Mula Capenga (Galileu Arruda)
05 - Vou Brigar Com o Mundo (Leonardo)
06 - Tô Carente (Ed Wilson / Solange de César)
07 - Que Queres Tu de Mim (Evaldo Gouveia / Jair Amorim)
08 - Coração Xonado (César Augusto / César Rossini)
09 - Doces Palavras (Paulo Debétio / Paulinho Resende) - com Roupa Nova
10-  Meu Bombom (Nando Cordel / Bráulio de Castro) - com Jorge de Altinho
11 - Minha Vida Em Tuas Mãos (Michael Sullivan / Paulo Massadas)
12 -  Minha Paixão (Augusto César / Carlos Colla)
13 - Eu Daria Minha Vida (Martinha)
14 - A Luz É Minha Voz (Mauro Motta / Ronaldo Fialho)
15 - Dê Uma Chance ao Coração (Michael Sullivan / Paulo Massadas)



Meu fado (BMG-Ariola) (1992)
Faixas:
01 - Canção Grata (Carlos Queiroz / Teresa Silva Carvalho)
02 - Canoa do Tejo (Frederico Brito)
03 - Nem às Paredes Confesso (Max de Souza / Ferrer Trindade / Artur Ribeiro)
04 - Sombras da Madrugada (Antônio José Lopes Lampreja / Ferrer Trindade)
05 - Sempre Que Lisboa Canta (Carlos Rocha / Aníbal Nazareth)
06 - Procuro e Não Te Encontro (Nóbrega e Souza / Antônio José)
07 - Confesso (Frederico Valério / José Galhardo)
08 - Fado das Queixas (Frederico Brito / Carlos Rocha)
09 - Olhos Castanhos (Alves Coelho Filho)
10 - Só Nós Dois (Joaquim Pimentel)
11 - Só à Noitinha (Frederico Valério / Amadeu do Vale / Raul Ferrão)
12 - Memórias (Leonardo)
13 - Tudo Isto É Fado (Aníbal Nazareth / F. Carvalho)



Do fundo do meu coração (BMG-Ariola) (1993)

Faixas:
01 - O Quereres (Caetano Veloso)
02 - Lábios Que Beijei (J. Cascata / Leonel Azevedo)
03 - Tudo Acabou (Carlos Paião)
04 - Vem Me Buscar (César Augusto)
05 - Estrelitas e Duendes (Estrellitas Y Duendes) (Juan Luis Guerra / Vrs. Fafá de Belém)
06 - Capricho (Sueli Costa / Abel Silva)
07 - A Bilirrubina (La Bilirrubina) (Juan Luis Guerra / Vrs. Aloysio Reis)
08 - Paixão Sem Medida (Marcos Valle / Paulo Sergio Valle)
09 - Vingança Boba (Cazuza / Sergio Serra)
10-  Você Vai Gostar (Casinha Branca) (Elpídio dos Santos / René Bittencourt)
11 - Do Fundo do Meu Coração (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
12 - Sobre Todas as Coisas (Edu Lobo / Chico Buarque)
13 - Desordem (Sergio Britto / Marcelo Fromer / Charles Gavin)


Cantiga pra ninar meu namorado (Sony Music) (1994)
Faixas:
01 - Todo Dia (César Augusto / Piska)
02 - Grão de Areia (César Augusto / Reinaldo Barriga)
03 - Quando a Sanfona Tocar (Cecílio Nena / Alves Drumont)
04 - Tenho Pressa (Leonardo)
05 - Fiel Como Um Cão (Leonardo / Petrúcio Amorim)
06 - Porque (Michael Sullivan / Paulo Massadas)
07 - Poeira de Estrelas (Stardust) (M. Parish / H. Carmichael / Vrs. Fafá de Belém e Pedro Monteiro)
08 - Bandoleiro (César Augusto / Fafá de Belém)
09 - Marcas (Carlos Colla / Marcos Valle)
10-  Coração de Sapê (Cecílio Nena / Nicéas Drumont)
11 - Ping Pong do Amor (Nicéas Drumont / Cecílio Nena)
12 - O Homem Que Eu Amo (César Augusto)
13 - Cantiga Pra Ninar Meu Namorado (Elias Jabur / Carlos Nasser)



Fafá ao vivo (Globo/Columbia) (1995)

Faixas:

01 - Filho da Bahia (Walter Queiroz)
Pauapixuna (Paulo André / Ruy Barata)
Raça (Milton Nascimento / Fernando Brant)
Estrela Radiante (Walter Queiroz)
02 - Foi Assim (Paulo André / Ruy Barata)
03 - Cavalgada (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
04 - Meu Homem (Nobody Does It Better) (C. Sager / M. Hamlisch / Vrs. Fafá de Belém)
05 - Só Canções (Sad Songs) (B. Alessi / Vrs. Stellio Kirk)
06 - Bandoleiro (César Augusto / Fafá de Belém)
07 - Romaria (Renato Teixeira)
08 - ''P'' da Vida (Toda La Vida) (Lúcio Dalla / Vrs. Edgard Barbosa Poças)
09 - Bilhete (Ivan Lins / Vitor Martins)
10 - Sob Medida (Chico Buarque)
Sedução (Milton Nascimento / Fernando Brant)
11 - Longe É Um Lugar Que Não Existe (Mauro C. Lima / Roberto Adolfo Amaro)
12 - Aos Nossos Filhos (Ivan Lins / Vitor Martins)
13 - Aprendizes da Esperança (Kleiton Ramil / Beto Fogaça)
14 - Meu Disfarce (Chico Roque / Carlos Colla)
15 - Memórias (Leonardo)



Pássaro sonhador (Sony Music) (1996)
Faixas:
01 - Vermelho (Chico da Silva)
02 - Abandonada (Michael Sullivan / Paulo Sergio Valle)
03 - Entre A Luz E A Escuridão (Michelle Zarrillo / Vicenzo Incenzo / Vrs. Dudu Falcão)
04 - À Queima-roupa (Zezé di Camargo)
05 - Este Pranto É Meu (Pim / Nicéas Drumont / Carlos Gomes)
Carinho Nativo (Eduardo Dias)
Este Rio É Minha Rua (Paulo André / Ruy Barata)
06 - Pra Nunca Mais (José Augusto / Dudu Falcão)
07 - Aparências (Cury / Ed Wilson)
08 - É Tão Bom Te Amar (Nando Cordel)
09 - Mania De Te Amar (Michael Sullivan / Aloysio Reis)
10 - Já É Tarde (Fafá de Belém / Daniel Laufer Taubkin)
11 - Pássaro Sonhador (José Cardoso / Sidney Resende)
12 - Vermelho (Chico da Silva) - Com David Assayag



CD SINGLE (Sony Music) (1997)

Faixa:
01 - Ave Maria (Jaime Redondo / Vicente Paiva)



Coração brasileiro (Warner Music) (1998)
Faixas:
01 - Coração Brasileiro (Michael Sullivan / Carlinhos Conceição)
02 - Eternamente (Tunai / Sergio Natureza / Liliane)
03 - Mar De Estrelas (Ramon Cruz)
04 - Pirilampo (Prêntice / Carlos Colla)
05 - Lamento De Raça (Emerson Maia) - com David Assayag
06 - Mais E Mais (Michael Sullivan / Paulo Ricardo)
07 - Volta Pra Casa Meu Nego (Nando Cordel)
08 - Dom De Passarinho (Edil Pacheco / Paulo César Pinheiro)
09 - Margarida Perfumada (Carlinhos Brown / Cícero Menezes)
10 - Pai (Fábio Júnior)
11 - Tenho Uma Coisa Para Lhe Dizer (Capiba)
Manda Embora Essa Tristeza (Capiba)
Casinha Pequenina (Capiba)
12 - Eternamente (Tunai / Sergio Natureza / Lililane / Vrs. Juan Bravo)



Maria de Fátima Palha Figueiredo (Warner Music) (2000)


Faixas:
01 - Velho Piano (Dori Caymmi / Paulo César Pinheiro)
02 - Preciso Aprender a Ser Só (Marcos Valle / Paulo Sergio Valle)
03 - Amor Em Paz (Tom Jobim / Vinicius de Moraes)
04 - Sob Medida (Chico Buarque)
05 - Nada Por Mim (Herbert Viana / Paula Toller)
06 - Tortura de Amor (Waldick Soriano)
07 - A Medida Da Paixão (Lenine / Dudu Falcão)
08 - Meu Nome É Ninguém (Haroldo Barbosa / Luis Reis)
09 - Ninguém Chora Por Mim (Jair Amorim / Evaldo Gouveia)
10 - Nas Flores Pintei O Teu Nome (Fernando Girão)
11 - Cansei De Ilusões (Tito Madi)
12 - Devolvi (Adelino Moreira)
13 - Foi Assim (Paulo André / Ruy Barata)



Piano e Voz (Warner Music) (2002)

Faixas:
01 - Foi Assim (Paulo André / Ruy Barata)
02 - Coração Do Agreste (Moacyr Luz / Aldir Blanc)
03 - Só À Noitinha (Frederico Valério / Amadeu do Vale / Raul Ferrão)
04 - Nem Às Paredes Confesso (Maximiano de Souza / Francisco F. Trindade)
05 - Bom Dia Belém (Edyr Proença / Adalcinda)
06 - Andança (Danilo Caymmi / Edmundo Souto / Paulinho Tapajós)
07 - Escândalo (Caetano Veloso)
08 - Quando Eu Estiver Cantando (Cazuza / João Rebouças)
09 - Bilhete (Ivan Lins / Vitor Martins)
10 - Devolvi (Adelino Moreira)
11 - Jardins Proibidos (Pedro Malaquias / Paulo Ganzo / L. Oliveira) - com Mariana Belém
12 - Memórias (Leonardo)
13 - Abandonada (Michael Sullivan / Paulo Sergio Valle)
14 - Ave Maria (Jaime Redondo / Vicente Paiva)




O Canto das Águas (Warner Music) (2002)


Faixas:
01 - Navio Gaiola (Sebastião Tapajós / Antônio Carlos Maranhão)
02 - Amazônia (Nilson Chaves)
03 - Carimbó - Homenagem Ao Mestre Verequete:
Chama Verequete (Tradicional)
Ogum Balailê (Tradicional)
Xô Peru (Tradicional)
Sereia Do Mar (Tradicional)
04 - Bom Dia Belém (Edyr Proença / Adalcinda Camarão)
05 - Destino Marajoara (Nilson Chaves)
06 - Pauapixuna (Paulo André Barata / Ruy Barata)
07 - Insinuante (Maria Lidia / Nego Nelson)
08 - Sangue Caliente (Maria Lidia)
09 - Uirapuru (Waldemar Henrique)
10 - Siriá (Tradicional)
Salve Mestre Cupijó
11 - Não Peguei O Ita (Nilson Chaves)
12 - Este Rio É Minha Rua (Paulo André Barata / Ruy Barata)
13 - Amazonas Meu Rio (Paulo André Barata / Ruy Barata / Antônio Carlos Maranhão)



Tanto Mar - Fafá de Belém canta Chico Buarque (BMG Brasil) (2005)
Faixas:
01 - Dans Mon Coeur (Terezinha) (Chico Buarque / Vrs. Bia Krieger)
02 - As Vitrines (Chico Buarque)
03 - Olhos Nos Olhos (Chico Buarque)
04 - Fado Tropical (Chico Buarque / Ruy Guerra) - com Chico Buarque
05 - Tanto Mar (Chico Buarque)
06 - Desalento (Vinicius de Moraes / Chico Buarque)
07 - Sob Medida (Chico Buarque)
08 - Vida (Chico Buarque)
09 - Bastidores (Chico Buarque)
10 - Gota D'água (Chico Buarque)
11 - Com Açúcar, Com Afeto (Chico Buarque)
12 - Olha Maria (Tom Jobim / Vinicius de Moraes / Chico Buarque)
13 - Minha História (Gesubambino) (Lúcio Dalla / Paola Pallottino / Vrs. Chico Buarque)
14 - Angélica (Chico Buarque / Miltinho)
Mulheres De Atenas (Chico Buarque / Augusto Boal)



Fafá de Belém Ao Vivo (EMI Music) (2007)

Faixas:
01 - Raça (Milton Nascimento / Fernando Brant)
02 - Filho da Bahia (Walter Queiroz)
03 - Sedução (Milton Nascimento / Fernando Brant)
04 - Meu Disfarce (Chico Roque / Carlos Colla)
05 - Coração do Agreste (Moacyr Luz / Aldir Blanc)
06 - Que Me Venha Este Homem (David Tygel / Bruna Lombardi)
07 - Meu Dilema (Leonardo / Michael Sullivan)
Memórias (Leonardo)
Meu Homem (Nobody Does It Better) (Carole Bayer / Sager / Marvin Harnlisch / Vrs. Fafá de Belém)
08 - Foi Assim (Paulo André / Ruy Barata) - com Walter Bandeira
09 - Nuvem de Lágrimas (Paulo Debétio / Paulinho Rezende)
10 - Pauapixuna (Paulo André / Ruy Barata)
11 - Maria Solidária (Milton Nascimento / Fernando Brant) - com Mariana Belém
12 - Vermelho (Chico da Silva)
13 - História de Amor (Ni Tu Gato Gris, Ni Tu Pero Fiel) (Danny Daniel / Rafael Ferro / Vrs. Cláudio Rabello)
14 - Brilho Dental (Carlos Tê / Rui Veloso / Adpt. Fafá de Belém / Adpt. Cláudio Rabello)



Fafá, Frevo e Folia - Coração Pernambucano (EP) (Independente) (2013)
Faixas:
01 - Voltei Recife (Luiz Bandeira)
02 - Sabe Lá O Que É Isso! (João Santiago)
03 - Sedução (Luiz Bandeira)
04 - De Chapéu de Sol Aberto (Capiba)
05 - Hino do Galo (Mário Chaves)



Amor E Fé (EP) (Universal Music) (2013)
Faixas:
01 - Nossa Senhora (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
02 - Ave Maria (Franz Schubert / Fafá de Belém / Dudu Falcão)
03 - Gracias A La Vida (Violeta Parra)
04 - Eu Sou De Lá (Padre Fábio de Melo)



Do Tamanho Certo Para O Meu Sorriso (Joia Moderna) (2015)
Faixas:
01 - Asfalto amarelo (Manoel Cordeiro / Felipe Cordeiro / Zeca Baleiro)
02 - Volta (Johnny Hooker)
03 - Ao pôr do sol (Firmo Cardoso / Dino Souza)
04 - Usei você (Silvio César)
05 - Pedra sem valor (Dona Onete)
06 - Vem que é bom (Manoel Cordeiro / Ronery)
07 - Meu coração é brega (Veloso Dias)
08 - Quem não te quer sou eu (Firmo Cardoso / Nivaldo Fiúza)
09 - Os passa vida (Osmar Jr. / Rambolde Campos)
10 - O gosto da vida (Péricles Cavalcanti) 

LinkWithin